Comunicado SIMEPAR

post grebe 2017 2O SIMEPAR comunica aos usuários das UPAS, CAPS e hospitais atendidos pelos médicos contratados pela FEAES, que os
mesmo em greve, para que não haja maiores prejuízos à população, a categoria assumiu o compromisso de manter 100% dos atendimentos nos casos de urgência e emergência e que a paralisação efetiva se dá em 60% dos atendimentos eletivos.
A categoria decidiu, em assembleia realizada no dia 20, paralisar as atividade porque a FEAES se mostrou intransigente em negociar não somente o reajuste salarial, mais diversas reivindicações da categoria que afetam diretamente as condições de trabalho e consequentemente o atendimento a todos usuários.
O SIMEPAR  também repudia as atitudes anti-sindicais tomadas por parte de alguns coordenadores, que retiram os cartazes que comunicam a greve aos usuários e intimidam os médicos com ameaças aqueles que aderirem a greve.
Não é verdade que nos últimos 4 anos tenha havido “aumento” de 33% como está sendo divulgado pela Prefeitura. Basta assistir ao vídeo da audiência junto ao TRT-PR (disponível no link https://youtu.be/SChN9PdpAyA) e acompanhar o pronunciamento da Vice Presidente daquela Corte, Desembargadora Marlene Teresinha Fuverski Suguimatsu. A Doutora deixa claro que em 2013 houve reposição de prejuízos sofridos pela categoria. Nos últimos 3 anos a categoria recebeu apenas a inflação do período com um ganho real de apenas 1% e ainda de forma parcelada. A Prefeitura age de má fé quando utiliza-se de argumento rejeitado na justiça, este ano, todos os demais profissionais da saúde receberam aumento e a inflação do período e os médicos estão sendo discriminados, pois a eles não está sendo pago sequer a inflação do ultimo ano.



Nome
Email
PARCEIROS


FILIADO A