Médicos denunciam assédio moral em UPA de São José dos Pinhais

A diretoria do SIMEPAR recebeu ontem, 28 de novembro, denúncias de assédio moral da direção da Unidade de Pronto Atendimento Afonso Pena, em São José dos Pinhais contra os médicos que trabalham naquela unidade. Na denúncia, que também foi protocolada no Conselho Regional de Medicina, os médicos relatam minuciosamente as pressões psicológicas e a exposição de situações humilhantes e constrangedoras que a direção da UPA tem adotado.

 

Segundo os denunciantes, eles são diariamente, durante  suas atividades de trabalho, julgados e não podem  sequer discordar ou mesmo argumentar sobre as situações que ocorrem.  “A prática constante de constrangimento, era mais silenciosa, mas já se notava nos colegas um alto grau de estresse devido às atitudes tomadas pela direção da unidade. Vários colegas foram induzidos gradativamente as pedir demissão ou foram retirados da escala, o que gerava medo nos demais colegas”, relata um dos autores da denúncia.

A UPA Afonso Pena é o único local de atendimento 24 horas do município e com uma demanda de usuários acima do que a unidade pode receber. “Pacientes ficam internados durante vários dias, ás vezes semanas. Praticamente todos os leitos da unidade estão ocupados e mesmo assim somos obrigados a receber todos os pacientes que chegam. Pacientes da mais variadas complexidades e especialidades chegam até a unidade que não tem  número suficiente de médicos e demais profissionais da área da saúde para o atendimento”, diz trecho da denúncia

Na denúncia enviada ao SIMEPAR, os médicos informam ainda que devido á sobrecarga de trabalho, a direção pressiona os médicos para dar conta da demanda.  Os médicos são constrangidos pessoalmente pela direção da UPA, que alega que a produtividade do profissional não é satisfatória para o serviço. Segundo os denunciantes, pacientes são colocados em frente das portas dos consultórios e a direção fica circulando pela unidade para constranger e pressionar o médico a realizar o atendimento.

De acordo com os denunciantes, a direção da UPA quando não localiza os médicos, começa a constrangê-los mandando mensagens de texto em redes sociais, com múltiplos profissionais, questionado onde estão e se não obtém resposta, são procurados dentro da UPA.  “Mensagens chegam a qualquer hora do dia ou da noite. Essas atitudes têm jogado colegas médicos contra colegas médicos, enfermagem, pacientes e familiares”, reclamam os médicos denunciantes.

O presidente do Sindicato dos Médicos do Paraná, Mário Antonio Ferrari informou que a diretoria da entidade debateu na reunião ocorrida ontem, as denúncias de assédio moral e as condições de trabalho dos médicos da UPA Afonso Pena. “As denúncias são graves e a diretoria já encaminhou para a assessoria jurídica do SIMEPAR tomar as medidas jurídicas necessárias”, finalizou o dirigente.

 



Nome
Email
PARCEIROS


FILIADO A