SIMEPAR participa de mediação na Superintendência Regional do Trabalho

O diretor do Sindicato dos Médicos no Estado do Paraná, Brasil Vianna Neto representou o SIMEPAR na mesa de mediação coletiva de trabalho com representantes de entidades empregadoras, ocorrida na última sexta-feira, 20, em Curitiba, na sede da Superintendência Regional do Ministério do Trabalho e Emprego no Estado do Paraná.

Na reunião proposta pelo SIMEPAR, o diretor Brasil Vianna enfatizou a importância da conclusão das negociações coletivas dos médicos já que algumas das entidades presentes não tinham sequer respondido à pauta de reivindicações encaminhada pelo Sindicato, a data base da categoria é 1º de novembro.

Na pauta apresentada pelo SIMEPAR, os médicos estão reivindicando correção salarial pela variação integral do INPC/IBGE, salário de ingresso no valor do piso da FENAM de R$ R$ 13.847,93, adicional de insalubridade independen­temente de verificação pericial pago no percentual de 40% horas extras de 200%, férias e outros itens.

Brasil Vianna lembrou também, que o SIMEPAR continua aberto e disposto em dar prosseguimento às negociações com os empregadores. “Todas as propostas apresentadas nesta mesa redonda, vamos imediatamente encaminhar á categoria, que em assembleia geral vai definir se aceita ou não”, enfatizou o dirigente.

A representante da Fundação da Universidade Federal do Paraná para o Desenvolvimento da Ciência, da Tecnologia e da Cultura (FUNPAR), Aline Simão afirmou que a entidade não negocia com SIMEPAR por aplica aos médicos contratados pela FUNPAR, os preceitos da Convenção Coletiva de Trabalho firmada entre SENALBA e SECRASO.

Segundo Sanny Babbris Cassins, representante Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Estado do Paraná (SINDIPAR) a entidade já encaminhou a contraproposta ao SIMEPAR, oferecendo as mesmas condições já pactuadas com a categoria profissional preponderante e que continuam dispostos a seguir negociando os termos da futura convenção coletiva, com garantia da data-base.

Já o representante da Federação das Cooperativas no Estado do Paraná(FECOOPAR) e do Sindicato das Cooperativas de Saúde no Estado do Paraná (SINCOOPAR), Graziel Pedroso Abreu informou que não há médicos empregados na entidade e sim cooperados, sendo a FECOOPAR entidade de segundo grau que não realiza negociação coletiva.

Durante a reunião na Superintendência do Trabalho, a representante da representante da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), Laryssa Martins Born expôs o posicionamento da empresa. Segundo ela, qualquer proposta de negociação coletiva direcionada á empresa deverá ser feito junto á sua matriz, em Brasília.

E por último, Cassiana Gomes, representante do Sindicato Nacional das Empresas de Medicina em Grupo (SINAMGE) informou que a entidade que representa já realizou a sua assembleia, pretendendo manter os termos da convenção anteriormente firmada, e aplicando o índice de reajuste salarial e de cláusulas econômicas de acordo com o índice do INPC-IBGE. Como também a garantia da data-base.



Nome
Email
PARCEIROS


FILIADO A